Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Na onda do que é Moda

Tenho andado a questionar-me, por me sentir frequentemente julgada, e resolvi fazer umas pesquisas.  Na verdade o que é mesmo a moda?

Não utilizei grandes enciclopédias mas creio que chega para demonstrar-vos o meu ponto de vista.

Se é fashion adviser ou especialista em modas, AVISO que a leitura que se segue lhe pode ferir a susceptibilidade e que não deve prosseguir. E assim descarto-me de qualquer ofensa que aqui esteja a fazer de forma inconsciente...

Moda é a tendência de consumo da atualidade. A palavra moda significa costume e provém do latim modus. É composta de diversos estilos que podem ter sido influenciados sob vários aspectos. Acompanha o vestuário e o tempo, que se integra ao simples uso das roupas no dia-a-dia. É uma forma passageira e facilmente mutável de se comportar e sobretudo de se vestir ou pentear.
Pode-se ver a moda naquilo que se escolhe de manhã para vestir, no look de um punk, de um skatista e de um pop star, nas passarelas. 
Convém ressaltar que, deixando de lado a tendência etnocêntrica (na realidade "eurocêntrica"), a qual ainda hoje é preponderante, devemos ter clareza de que a moda, enquanto fenômeno, só se tornou "universal" em meados do século XIX, com o advento da crinolina. Até então, cada povo possuía sua própria maneira de se vestir e ornamentar, de maneira que conviviam diversas manifestações e estilos numa mesma época.
Mesmo hoje, em que vivemos, sob o capitalismo hegemônico, a fase da globalização, não se pode esquecer que o mundo muçulmano se constitui num universo à parte, onde a burka e o chador ainda são amplamente utilizados e onde populações inteiras, como a maior parte da Índia e as comunidades indígenas, bosquímanas e aborígenes australianos, por exemplo, estão alijados da produção e do consumo.
In Wikipedia
Se a roupa que tenho é comprada, trata-se sem dúvida de consumo. Normalmente sigo uma tendência, embora a minha tendência esteja algo relacionada com o meu estado de espírito. Julgo que é um costume, já que me visto todos os dias. É para mim facilmente mutável pois, como já referi, adapta-se ao meu estado de espírito. Sim, normalmente também faço a escolha de manhã, porque não tenho paciência no dia anterior! Pronto ok!, talvez tenha nascido no século errado e devesse ter nascido há três séculos atrás quando ainda coexistiam diversas manifestações de estilos (hoje também, mas a aceitação é outra) e não esta "universalidade" referida. Concluo que estou na moda!
Não aceito que me digam que não sigo as tendências e que não percebo de moda, só porque não entro na onda  e não opto por gostar e usar aquilo que se vê por todo o lado. Não sou nenhum E.T. nem posso considerar que tenha mau gosto! Hoje descobri que sou apenas "alijada da produção e do consumo".
Gosto de moda, gosto de me produzir, mas ao contrário de muitos isso para mim não é uma obrigação. E peço desculpa se ofendo alguém, mas para mim ir para a escola, ao café ou para o trabalho (uma vez que se use farda, claro) de fato de treino não é nenhum crime. A moda é também uma forma de apresentação e da pessoa se dar a conhecer... Se me sinto um trapo em dado momento porque me hei-de vestir como uma princesa? Apenas porque parece bem? Bem, a minha resposta é simples: nunca vivi e continuo a recusar-me a viver de aparências!

Cat

Sem comentários:

Enviar um comentário