Pesquisar neste blogue

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Talvez as melhores palavras para te explicar...

Escritas por outra, mas que se encaixam perfeitamente em nós!

“Porque é que não fui eu?”, perguntou Carrie ao amor da sua vida, mesmo antes de ele se casar com outra mulher. “Não, a sério. Eu gostava mesmo de ouvir da tua boca. Vá lá, sê amigo”.
“Não sei… As coisas entre eu e tu complicaram-se… e a Natasha é tão…” respondeu o Mr. Big.
“Pois.”
Eu sei que é cliché citar “O Sexo e a Cidade”, mas ainda hoje é tão relevante.
Este episódio mostrou a mim e a muitas outras mulheres o que nós já sabíamos no nosso subconsciente há muito tempo: nós somos o tipo de mulheres com quem um homem devia estar, mas não quer.
O Mr. Big ia provavelmente acabar a sua frase com “fácil”. Natasha, a sua futura mulher, era de facto fácil — ela deixava-se levar pela corrente. Ela nunca ficava irritada com ele nem o incentivava a ser melhor. Deixava-o fazer tudo o que ele queria.
Carrie, por outro lado, era complicada. Ela não aceitava receber menos do que o que ela merecia. Ela ansiava por mais do Mr. Big. Ela tinha opiniões e uma vida e sonhos para os dois juntos. Às vezes, ela discutia com ele em momentos inoportunos. Porque ela é apaixonada e emocional, ela preocupava-se.
Não que Natasha não se importasse também. Mas ela é uma menina básica que quer manter a paz a qualquer custo, mesmo que isso signifique colocar as suas necessidades de lado. A sua mente não é tão analítica e imaginativa como a de Carrie, para que ela possa aguentar mais. Ela é simples.
Eu não sou simples. Eu sou um desafio para qualquer homem, tenho que admitir. Por mais que eu me esforce em tentar ser a menina simples, a menina básica, simplesmente não está na minha natureza ser uma. Se eu exijo mais de alguém, é porque eu vejo um grande potencial.
Eu só quero o melhor para mim e para quem está ao meu lado, então eu nunca vou compactuar em fazer parte de uma relação medíocre e desapaixonada, que viva da aparência.
Um homem ou um menino imaturo vai querer sempre a menina simples. Ele não quer ter que trabalhar duro para nada, muito menos para um relacionamento. Ele não quer ser desafiado ou confrontado.
Mas, um homem de verdade sabe que por estar com uma mulher complexa, isso vai ser melhor para ele. Às vezes, essa mulher pode ser difícil e complicada, mas ele sabe que as suas intenções são boas. Com uma comunicação saudável, o relacionamento vai ficar mais forte.
Este é o tipo de mulher pela qual tu te devias apaixonar. Tu podes pensar que não é o que tu queres, mas na realidade é. A menina fácil nunca vai satisfazer-te. Ela vai ser doce, mas não suscita entusiasmo. Ela vai ser querida, mas não te vai inspirar. Ela vai sempre deixar-te insaciado, a querer mais do que aquilo.
Mesmo teimoso, o Mr. Big veio a perceber que ele não queria uma mulher fácil, e ele acabou por trair Natasha… com Carrie.
Mulheres complicadas são criativas e, às vezes, emocionais. Ela também pode ter um toque daquilo que algumas pessoas chamariam “loucura”. Mas, ninguém vai amar-te melhor do que ela. Ninguém vai fazer amor contigo com tanta paixão como ela.
Ninguém vai encorajar-te a seguires os teus sonhos como ela. Tu terás muitas conversas profundas com ela e que te farão questionar as tuas crenças e ideias. Ela também vai ser mais esperta do que tu, em muitas ocasiões. Não vai ser sempre fácil, mas vai ser mais satisfatório e sempre divertido.
Uma mulher simples tem uma mente simples. As coisas não vão ser tão difíceis quando tu estiveres com essa mulher; será um mar calmo e bom de velejar. Este é o tipo de mulher que tu provavelmente imaginas casar, não aquele que é opinativo e inteligente, que nem sempre concorda contigo.
Mas, se tu queres ser o melhor que tu podes ser e expandir a tua mente e as tuas capacidades, casa-te com uma mulher complicada.
Casa com a mulher que te diz exatamente o que ela espera e o que ela procura.
Casa com a mulher que exige o teu respeito.
Casa com a mulher que te incentiva a mostrares ao mundo os teus talentos ao invés de te incentivar a viveres com eles acomodados.
Casa com a mulher que pode falar de política, mesmo que as suas opiniões sejam diferentes das tuas.
Casa com a mulher cujos olhos cintilam de paixão quando fala sobre uma série de temas diferentes.
Casa com a mulher que te incentiva a ser melhor a cada dia.
Casa com a mulher com quem tu às vezes lutas e brigas.
Casa com a mulher que é igual a ti ou superior.
O meu pai diz muitas vezes que a coisa que mais o atraiu na minha mãe foi o facto de que ela era mais inteligente do que ele. Só um grande homem é capaz de dizer isso e saber que isso é bom para ele.
Não me entendas mal; uma mulher complicada que ainda não está madura vai ser uma dor de cabeça.
Ela vai entrar em lutas contigo por tudo e por nada, e tu vais sentir-te um falhado na presença dela porque não sabes como fazê-la feliz.
Mas, com um pouco de experiência e sabedoria, esta é a menina que vai tornar-se material para casar. E, assim que ela atingir esse ponto, é melhor que tu nunca a deixes ir embora, ou tu vais arriscar a perder a melhor coisa que já tiveste.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Vida nova, medos velhos

Queridas pessoas que me acompanham desse lado e me vão fazendo sentir melhor...

Infelizmente parece que o meu mundo caiu. A minha relação de quase dois anos parece que chegou ao fim. Os últimos meses foram passados a discutir, embora ele também tenha cometido os seus erros, eu também cometi muitos. Na última semana tenho tentado fazer de tudo para que volte atrás com a sua intenção, que nos deixe tentar uma última vez. Mas não, ele não quer.
Tenho de apresentar-vos. Ele é um homem carinhoso e que me faz/fez muito feliz, 19 anos mais velho que eu (o que até agora nunca tinha sido um problema), nasceu aqui na Alemanha apesar de filho de pais portugueses, passou a adolescência em Portugal e há cerca de 20 anos voltou para cá. Conhecemo-nos quando aqui cheguei há 2 anos, era meu chefe. Apaixoná-mo-nos, moramos juntos, mudámos de casa e de trabalho. Neste momento temos uma casa maravilhosa, animais de estimação e uma cidade com amigos. As coisas deixaram de correr bem, por muito que lhe peça não volta atrás, não nos dá uma nova oportunidade.

Agora cá estou eu, sozinha nesta terra fria, 2 anos depois, a portuguesinha que nada sabe deste mundo. Preciso de nas próximas semanas fazer-me à vida, procurar uma nova mini-casa só para mim e para o canito. Sinto-me perdida. Perdi o meu amor, o meu companheiro e a minha muleta/âncora neste país. Sinto-me vazia e tenho medo. Estou só.

Este terrível medo, sempre foi o pavor da minha vida. Ficar sozinha! Eu que sou a pessoa que enquanto espera que o companheiro venha do trabalho, porque se atrasou, já começa a desesperar porque odeia estar sozinha em casa. Agora terei de viver sozinha. Perdi tudo, perdi o chão. Estou preenchida por este medo e sinto-me vazia. Não tenho fome, não tenho sono e não sei o que faça! Provavelmente terei de mudar de emprego e de cidade pois trabalhamos no mesmo sitio e as coisas não serão nada fáceis por aqui. Mas como, como farei agora tudo isto SOZINHA????

Desculpem o desabafo, mas mais uma vez precisava de deitar cá para fora e aqui no meu cantinho é o único sítio onde o posso fazer...

domingo, 15 de novembro de 2015

Pavio curto....

Não sei o que fazia minha mãe enquanto meus pais me estavam fazendo a mim!!!!
Alguma coisa não bate bem entre o meu Tico e o meu Teco.
Já percebi o problema, só não encontro  a causa nem uma solução... Eu tenho um pavio curto, muito curto, entenda-se...
E por vezes quase sem perceber porquê, algo liga o interruptor e começo a descer neste escorrega assustador em que tudo fico negro, muito escuro, o peito aperta, o ar fica pesado e as lágrimas sobem-me aos olhos. Fico horrorizada como um segundo basta para estragar a felicidade de meses ou até anos. Tenho medo de tudo e de todos, transformo-me e torno-me ainda mais desconfiada, desesperada!E o pior, acabo por me conduzir a essa mesma escuridão porque não cosigo mudar o meu estado de espírito, afastando ainda mais os que tão perto queria!!!
Nem sei que mais nomes de chamar, infelizmente vejo cá de dentro o que estou a fazer aí fora e apesar de tudo nada consigo mudar!

sábado, 14 de novembro de 2015

8 meses

Faz amanhã oito meses desde a última vez que aqui escrevi...
Ich schame mich... Envergonho-me...
Vidas demasiado ocupadas, que ainda assim se mantêm como que vazias. A minha pelo menos.
Os últimos meses não têm sido fáceis e tenho deixado de lado quase tudo o que sempre gostei de fazer. Escrever?! Parece que já não me aventuro, tornei-me burra de mais para isso, a minha linguagem tornou-se vulgar e perdi as palavras caras e bonitas que embelezam ou poderiam embelezar os meus textos. Artesanato?! Cheguei à conclusão que não tenho tempo para ele, além do mais já há uns tempos que só me trazia despesa... Musica?! Há anos que não toco, gostava de voltar a tocar. Esta semana fui informar-me, tenho duas opções: ou entro numa banda onde me ensinam um novo instrumento, mas que por outro lado me traz outro tipo de obrigações como ensaios e apresentações, com as quais não me quero comprometer neste momento; ou vou para a escola de música aqui da cidade, que me en.sina um instrumento pela módica quantia de 58€ por mês, tendo direito a ser obrigada a assimilar tudo muito rápido pois as aulas são semanais e têm a duração de meia hora!!!! Tendo em conta que trabalho por turnos, e que as aulas só poderiam ser à sexta à tarde, a senhora da recepção respondeu-me: "-Então teríamos de ver, porque nesse caso apenas poderiam ter aulas de duas em duas semanas...". Ja, toll!
Estou triste, neste momento parece de novo que nada me corre bem. E eu pessoa negativa como sempre já só vejo um buraco à minha volta e está dificíl de voltar a vir à tona..

domingo, 15 de março de 2015

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Não fiques com alguém que não está certo nem te deixa certa de que é isso...

Hoje li um texto de um site que expõe exactamente aquilo que penso, mesmo que por vezes não siga.
Baseia-se num excerto de uma série:

“- Existe uma palavra em alemão: Lebenslangerschicksalsschatz. E a mais próxima tradução seria ‘O tesouro do destino ao longo da vida.’ E Victoria é  ’wunderbar’, mas ela não é minha Lebenslangerschicksalsschatz. Ela é minha Beinaheleidenschaftsgegenstand, sabe? Isso significa ‘Aquilo que é quase aquilo que você quer, mas não completamente.’ E é isso o que Victoria é pra mim.
– Mas como sabe que ela não é Lebenslangerschicksalsschatz? Talvez com o passar dos anos ela se torne mais Lebenslangerschicksalsschatz.
– Não, não, não. Lebenslangerschicksalsschatz não é algo que se desenvolve ao longo do tempo, é algo que acontece instantaneamente. Atravessa você como água de um rio depois da tempestade, preenchendo e esvaziando você ao mesmo tempo. Você sente isso em todo o seu corpo. Nas suas mãos. No seu coração. No seu estômago. Na sua pele. Já se sentiu assim com alguém?
– Acho que sim.
– Se tem que pensar a respeito é porque não sentiu.
– E tem absoluta certeza que encontrará isso um dia?
– É claro. Eventualmente todo mundo encontrará. Só que nunca saberá onde ou quando.”
(How I Met Your Mother)

E o texto é o seguinte:

"Quando a gente quer muito uma pessoa, a gente se engana. A gente tenta encaixar aquele outro ser humano em posições que nunca foram dele. A gente clama ao universo para um sim em algo que já começou destinado ao não. A gente quer, e a gente bate o pé e faz pirraça feito criança para conseguir. Mas um dia a gente percebe que amor tem que ser uma via de mão dupla. Amor tem que ser fácil, tem que ser bom, tem que ser complemento, tem que ser ajuda. Amor que é luta é ego. Amor que rebaixa é dor. E então a gente aprende que amor que não é amor, não encaixa, não orna, não serve.
Fique com alguém que não tenha conversa mole. Que não te enrole. Que não tenha meias palavras. Que não dê desculpas. Que não bote barreiras no que deveria ser fácil e simples. Fique com alguém que saiba o que quer e que queira agora.
Fique com alguém que te assuma. Que ande com orgulho ao seu lado. Que te apresente aos pais, aos amigos, ao chefe, ao faxineiro da firma. Que segure a sua mão ao andar na rua. Que não tenha medo de te olhar apaixonadamente na frente dos outros. Fique com alguém que não se importe com os outros.
Fique com alguém que não deixe existir zonas nebulosas. Que te dê mais certezas do que perguntas. Que apresente soluções antes mesmo dos questionamentos aparecerem. Fique com alguém que te seja a solução dos problemas e não a causa.
Fique com alguém que não tenha traumas. Que não tenha assuntos mal resolvidos. Que saiba que para ser feliz, tem que deixar o passado passar. Fique com alguém que só tenha interesse no futuro e que queira esse futuro com você.
Fique com alguém que te faça rir. Que te mostre que a vida pode ser leve mesmo em momentos duros. Que seja o seu refúgio em dias caóticos. Fique com alguém que quando te abraça, o resto do mundo não importa mais.
Fique com alguém que te transborde. Que te faça sentir que você vai explodir de tanto amor. Que te faça sentir a pessoa mais especial do universo. Fique com alguém que dê sentido à todos os clichês apaixonados.
Fique com alguém que faça planos. Que veja um futuro ao seu lado. Que te carregue para onde for. Que planeje com você um casamento na praia, uma casa no campo e um labrador no quintal. Fique com alguém que apesar de saber que consegue viver sem você, escolhe viver com você.
Fique com alguém que não se esconda. Que não te esconda. Que cada palavra seja direta e clara. Que não dê brechas para o mal entendido. Que faça o que fala e fale o que faça. Fique com alguém cujas palavras complementam suas ações.
Fique com alguém que te admire. Que te impulsiona pra frente. Que te apoie quando ninguém mais acreditar em você. Que te ajude a transformar sonhos em realidade. Fique com alguém que acredite que você é capaz de tudo aquilo que queira.
Fique com alguém que você não precise convencer de que você vale a pena. Que não tenha dúvidas. Fique com alguém que te olhe da cabeça aos pés e saiba, sem hesitar, que é você e só você.
Fique com alguém que te faça olhar para trás e agradecer por não ter dado certo com ninguém antes. Fique com alguém que faça não existir mais ninguém depois."
(www.deuruim.net)

Para mim hoje é isto... e que pensam aí desse lado?




quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Horrorizada!

Hoje fiquei horrorizada quando tentei comprar algumas meadas de linha para bordar ponto de cruz, finalmente voltei a fazer qualquer coisa com estas maozinhas de fada... =) 
Descobri que na minha cidade e nas duas mais proximas ja nao existem meadas de linha para bordar: porque ja ninguem compra, porque ja ninguem sabe fazer... Encontrei um misero expositor numa das lojas da cidade visinha e a vendedora ainda me disse: -Se quiser aproveite para levar ja mais porque sao as ultimas e ja nao vem mais! So se conseguir na Internet....

Estou ESCANDALIZADA!!!

E triste... nao me digam que vou ter de encomendar material directamente do pequenino pontinho a beira mar plantado... era mesmo so o que me faltava!